NÃO PERCA SUA HORA!

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

CURSO: MINISTÉRIO PASTORAL (PARTE III)



O pastor e a pregação

 A pregação é uma dentre muitas formas pelas quais Deus espalha sua palavra, mas cremos piamente que ela é a maior de todas. A ceia, o batismo e as boas obras de cada fiel, tudo isso é belo, porem nada substitui a pregação de Palavra de Deus inspirada pelo Espírito Santo.

Obreiros, o nível espiritual da igreja sobe ou cai conforme a pregação da Palavra. Os crentes podem até tolerar fraquezas do pastor, mas, se não forem alimentados e ensinados, certamente berrarão como ovelhas famintas, ficando assim, insatisfeitos. Qualquer obreiro que não acredita no poder da pregação da Palavra, nem se dedica a ser um pregador melhor terá com certeza grandiosos problemas ministeriais. A pregação é sem duvida a “obra suprema do ministério cristão”. Feito com amor e dedicação, é o mais árduo trabalho do ministério.

É importante fazermos um parêntese. É que algumas igrejas têm deixado sua porta aberta para modismos seculares, tais como: Aconselhamento pessoal (ênfase em auto-ajuda), dinâmicas de grupo, dialogo, dramaturgia e assim por diante. Nenhuma delas por mais graciosas que sejam, substitui, ou melhor, é de melhor objetivo do que a exposição sistemática da Bíblia Sagrada. Tais obreiros que deixam a pregação em segundo, terceiro e até em ultimo plano, estão cavando sua própria cova e levando suas igrejas consigo. Se o pastor dá importância à mensagem da Palavra, todos terão ciência disso. Sua congregação reconhecerá seu prazer e esforço, por terem um pastor que os ama a ponto de se dedicar com afinco à pregação.
· Então como posso melhorar minha pregação?   
1.               Nunca fique satisfeito com seus sermões.
2.               Tenha sempre em mente que ainda pode melhorar.
3.               Aperfeiçoamos a pregação a aperfeiçoar ao pregador.
4.               Seja humilde, ouça outros pregadores.
5.               Aprenda sem, contudo, imitar.
6.               Cuidado com discursos repetidos.
7.               Não cair nos elogios, eles são uma bomba relógio.
Se seu desejo de melhorar suas mensagens for sincero, Deus proporcionará oportunidades para tal.

O pastor e o culto

Comecemos pelos motivos que levam os crentes a se reunir com regularidade:
1.                 Adorar a Deus.
2.                 Receber instrução e aprender a Palavra.
3.                 Ministrar e incentivar uns aos outros.
4.                  Tomar conhecimento e orar pelos outros.
5.        Testemunhar aos perdidos. O fato de nos reunirmos semanalmente já testifica diante da comunidade.

Quem dirige o culto deve ser cheio do Espírito, em tudo procurar adorar e honrar ao Senhor, não chefes de torcida que conduzem uma festa religiosa. Dirigir um culto é uma tarefa difícil e jamais pode ser feita por amadores.
Se permitirmos que o Senhor nos oriente e nos fortaleça, nossos cultos certamente não serão enfadonhos e maçantes. Mas se imitarmos os atenienses, que estavam sempre procurando “alguma novidade”, transformaremos o culto em um “espetáculo”, um lazer religioso”, isso é algo que devemos evitar. Variedade e diversidade, sim; novidades, não; união, sempre. Assim sendo, a oração e a orientação do Espírito Santo são essenciais para preparar cada culto. Sem também esquecer, que é de vital importância permitir que o rebanho exerça os dons do Espírito, em vez de serem apenas espectadores de um programa religioso.

O pastor e a visitação

Para que nossa pregação toque e transforme a vida do rebanho, precisamos, tal como Ezequiel, sentar onde eles sentam” e compreender suas reais necessidades. Os mercenários se mantém afastados e fogem dos problemas, mas o verdadeiro pastor segue o exemplo do Bom Pastor, que sempre tinha tempo para cada um e não relegava ninguém ao descaso. Jesus fez de cada visita uma oportunidade de seu ministério espiritual. Ele partilhou boas, como péssimas ocasiões. Não é necessário visitá-los todos os dias, mas, separar momentos em que se possa fazer um rodízio de visitas.  A nossa visita não deve se tornar fátua, pacóvia à família visita, pois assim, nossa visita não será bem vinda. É importante preferencialmente, dividir esta tarefa com irmãos idôneos e confiáveis. Também resista ao bolo de toda visita, seu medico e sua família agradecem. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja Bem Vindo!