NÃO PERCA SUA HORA!

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

CURSO: MINISTÉRIO PASTORAL (PARTE V)


O pastor e a unção de Deus

“Quanto a vós outros, a unção que dele recebestes permanece em vós...” 1ª Jo 2.27a. O pastor que tem unção em sua vida ministerial, conta com a maior ajuda divina que ele pode ter para fazer a obra do Mestre. O Eterno tem um imenso desejo de derramar sua unção sobre nossas vidas, e só cabe a nós buscá-la. Deus tem muito a nos dar através da sua unção: milagres, maravilhas, paz, ousadia e autoridade. É primordial ao ministério pastoral, a unção de Deus, sem ela o pastor será como uma “lata seca”, pois a unção lubrifica as mensagens, a adoração, o louvor, a administração, enfim a unção faz muita diferença em nossas vidas, nossos ministérios, nossos lares. Quem prima pela unção terá um ministério fecundo, inexaurível, profícuo, e isso teremos ao buscar, ao desejar, ao ansiar a unção do Eterno. Um ministério sem unção não vale como referencia para os demais, mas um ministério que tem a marca da unção de Deus é exemplo para os demais, inclusive os sem unção.  

O pastor e os obreiros

“Segui a paz com todos...”. Hb 12.14a. Depois de muito pesquisar e meditar pudemos perceber que os maiores dilemas de um pastor, no âmbito eclesiástico, são os obreiros problemáticos. Os bons obreiros são co-participantes do ministério do pastor, são ajudadores, amigos, conselheiros, entre outras coisas. Porem existe alguns, não poucos, que se infiltram no ministério, sim se infiltram e não chamados por Deus, para apenas deturpar, ferir, machucar e causar dissensões, desavenças, cizânias no ministério pastoral e da igreja. Em meio a tudo isto, o pastor tem em suas mãos a oportunidade de recompensar estes tais de maneira diferente, com amor e misericórdia, pois, a Palavra de Deus nos afirma em Romanos 12.18: “se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens;”, mas sem nunca evitar que os tais venham a ser punidos com severidade conforme a legislação eclesiástica de cada denominação e organismo ou convenção pelos quais o obreiro seja conveniado e/ou filiado, errou deve pagar, porem o caso não deve se tornar um escândalo, escarcéu, mas que seja resolvido com paz e entendimento de ambas as partes, sem qualquer resquício de ira ou magoa.     

O pastor e a oração

“Orai sem cessar” 1ª Ts 5.17. Sem sombra de duvida a oração é o oxigênio espiritual de todo cristão. Sendo a preparação para fazer a obra do Senhor, sem também esquecer de que a oração nos leva a uma maior intimidade com Deus. O pastor que ora muito certo terá ótimos frutos e colherá os resultados de suas horas, madrugadas constantes em oração, mas aquele que subestima o poder e o valor da oração, confiando apenas em suas estratégias e convicções para a obra, está fadado a ter um ministério improdutível e sem vida, já dizia um grande homem de Deus: “muita oração muito poder, pouca oração pouco poder, nenhuma oração nenhum poder.” Uma vida de constante oração nos dará recursos e reservas para enfrentar o diabo e seus dardos inflamados, não obstante a isto, Jesus quando estava no Getsêmani orando seus discípulos adormeceram e Ele os repreendeu dizendo que eles sequer podiam buscar a Deus por uma hora com Ele, e esta mesma indagação nos é impetrada pelo Espírito Santo: será que estamos vivendo uma vida de oração? Será que vivemos em oração em meio às adversidades que nos são propostas?Será que estamos orando o mínimo que necessitamos? Um pastor que realmente sente arder em seu peito à chamada, busca, ora e verdadeiramente “caminha de joelhos”, para que se possam atingir as metas em Cristo estabelecidas, sabemos que oramos não pela bela posição ou porque queremos ser “estrelas da oração”, não nós oramos porque somos carentes e sem ela, a oração, nós não aguentaríamos viver nesta terra. Amados obreiros orar não é supérfluo, mas extremamente cogente para a nossa sobrevivência espiritual.

O pastor e a sã doutrina

“Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina...” 1ª Tm 4.16a. Todo pastor deve ser um exímio, egrégio conservador da sã doutrina, a doutrina apostólica, para que os mandamentos e ensinos trazidos por Jesus à sua igreja, não sejam banalizados, nem tampouco colocados em um lugar prosaico em nossas igrejas. A doutrina não implica em tratarmos de assuntos como: tamanho das saias das irmãs; se as irmãs podem ou não cortar os cabelos ou retirar os pelos em excesso de algumas partes do corpo; uso de certos tipos de roupa. Não, isso se chama legalismo, ato que não nos é proveitoso. Doutrinar é o ensino legitimo e sem cortes das Sagradas Escrituras. Ensinar a doutrina não indica ser violento, rude, e iracundo nas expressões usadas nos púlpitos, pois, o púlpito é o lugar de expressão maior da Palavra do Mestre e não de altercação de diretas e indiretas a uma pessoa ou grupo na igreja que por algum motivo entendemos a nossa maneira que estejam errados. Isso é por demais perigoso. Começamos a deixar de sermos conservadores da sã doutrina e imbuímos um espírito bestial, que imputa ao nosso ministério, um sentimento de rivalidade e não a paz do Senhor, que realmente excede todo entendimento, guardará os nossos corações e as nossas mentes em Cristo (Fp 4.7). Conserve a sã doutrina, o amor, a santidade, a humildade entre outras, mas faça isso com esmero, sempre usando justiça, com uma boa porção de misericórdia, pois, com esta receita, o uso do ensino da sã doutrina não será um fardo, mas uma benção para os que nos ouvem e para nós que ministrarmos.    

O pastor e a humildade

“servindo ao Senhor com toda a humildade...” At 20.19a. A humildade é fator determinante para o sucesso do ministério pastoral em todos os âmbitos. Quando somos convocados ao ministério temos que colocar em nossa mente que quanto mais crescermos ministerialmente, da mesma forma devemos cada dia sermos mais humildes, para que não nos ocorra o que ocorreu entre os discípulos que se questionaram a saber quem era o maior entre eles, para que isso, que é maléfico, não ocorra, a humildade nos vacina contra este mal. Porem se não formos humildes, nos ocorrerá uma fadiga ministerial para com os demais irmãos, obreiros e pastores, que outrora vivenciaram nossa fase pré-pastoral, e quando isso afeta um pastor, ele pode se preparar para as mais diversas dissensões que ele criará e ele mesmo terá de resolve-las. Ser humilde não é constrangedor, mas sempre será um marco que exalta o caráter de quem a possui. Não custa nada, não cai pedaço da mão, não rejeita ninguém, ser humilde, reconhecer os erros, aceitar que existem melhores pregadores, melhores pastores, melhores lideres que nós, isso não nos rebaixa, mas nos incentiva a sempre buscar ser melhor do que somos, não por competição, mas o melhor andamento da obra do Mestre. Pastor feliz é um pastor humilde.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

OBRA MISSIONÁRIA NO MALI

Queridos leitores, estamos postando algumas fotos do trabalho missionário no Mali, país africano muito pobre e de extrema aversão ao Evangelho. Desde já, oremos em favor do Pastor Paulo Locatelli e sua família que serve ao Senhor no Mali.

Veja logo abaixo algumas fotos da obra missionária no Mali:






segunda-feira, 19 de novembro de 2012

ORAÇÃO URGENTE: PERSEGUIÇÃO E AMEAÇAS AO MINISTÉRIO


Caros leitores, precisamos nos unir em oração. Recebemos este e-mail de um missionário amigo, André Rocha relatando uma perseguição árdua ao trabalho do Senhor. Leia logo abaixo o e-mail na integra:
Querido Pastor Manoel,
Enquanto os Estados Unidos hoje celebram a democracia elegendo pela segunda vez o Presidente Barack Obama, nós aqui na Grécia estamos enfrentando perseguição e ameaças como jamais vistas antes por causa da nossa nacionalidade, fé e atividades ministeriais.  
Ontem, dia 6 de novembro, enquanto a Grécia se preparava para mais uma greve geral de 48 horas, nosso ministério recebeu ameaças violentas de um partido político fascista e ultranacionalista chamado “Golden Dawn” (Aurora Dourada). Nosso escritório recebeu ameaças por ligações telefônicas que diziam que danos físicos e materiais seriam feitos aos alunos e professores caso a nossa escola, Academia Cristã de Glyfada, não fechasse as suas portas. Como providência, os diretores da escola resolveram suspender as aulas por hoje, dia 7 de novembro, até que uma solução definitiva seja encontrada.
Em vista destes eventos, desafiamos você a se levantar conosco em oração contra as forças do inimigo que tentam controlar esta nação. Convocamos você a orar pelo bem-estar físico de cada aluno, professor e funcionário da Academia Cristã de Glyfada e da igreja Centro Cristão de Glyfada. Pedimos que você também ore pelos governantes desta nação, para que a sabedoria de Deus esteja sobre eles.
Para mais informações sobre o “Aurora Dourada”, por favor assista esta reportagem em inglês do canal CBN. http://www.cbn.com/cbnnews/world/2012/October/Fascist-Movement-Dawning-in-Greece-amid-Collapse/
Obrigado,
André Rocha


CRUZADA ARÊZ PRA JESUS

A cidade de Arêz neste sábado dia 24 receberá a cruzada Arêz pra Jesus. Será um evento pra impactar a cidade e trazer muitas vidas aos pés de Jesus. No louvor a cantora Leny Barros de Parnamirim e pregando a mensagem salvífica do Evangelho o Presbítero Sílvio Menezes também de Parnamirim.

Veja o cartaz:


sexta-feira, 16 de novembro de 2012

PERMUTA ENTRE AD'S É DESFEITA

Anteriormente, publicamos a respeito de uma permuta realizada e referendada entre as AD'S Monte Alegre e Pedro Velho. Entretanto, recebemos agora a pouco a informação fidedigna que houve desistência da permuta por parte do Pastor Ferreira. Então, não haverá mais a permuta. Portanto, estamos informando aos nossos leitores o ocorrido sem que haja prejuízo a qualquer companheiro e/ou amigo. Antes de concluir deixamos para meditação:


 " Seja o vosso falar sim, sim, não não! Pois, o que passar disso é de procedência maligna." Mateus 5.37

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

MISSIONÁRIOS BRASILEIROS SÃO PRESOS NO SENEGAL


Um missionário brasileiro no Senegal foi preso sob acusação de acolher e evangelizar crianças que frequentam escolas islâmicas no país.
A informação foi repassada à Redação do Gospel+ pelo pastor José Sanches, do projeto Fronteiras África. O pastor em questão é o líder do projeto Obadias, José Dilson, enviado como missionário à região de Mbur, no Senegal, pela Agência Presbiteriana de Missões Transculturais (APMT).
José Dilson recebeu voz de prisão juntamente com uma das missionárias do projeto, Zenaide Moreira Novaes, e segundo a esposa do pastor, Marli, a acusação poderá fazer com que eles permaneçam presos por algum tempo.
De acordo com informações do site da APMT, ambos permanecem retidos e foram transferidos para a cidade de Thiés, vizinha ao local onde foram detidos, para prestarem novos depoimentos.
Em carta enviada pela esposa do pastor, ela revela que os missionários foram obrigados a assinarem documentos sem a possibilidade de ler o que estava escrito, e que o local onde estão detidos, não reúne condições mínimas de respeito aos direitos humanos. Confira abaixo a íntegra do relato:
“Queridos, finalmente na parte da tarde Jose Dilson e irmã Zeneide foram tranferidos para Thiés, para serem ouvidos pelo procurador. No documento de acusação consta que somos uma “Associação de Malfeitores para as crianças”. Foram obrigados a assinar este documento, sem terem possibilidade de ler o que estavam assinando. Quem nos conhece sabe o quanto temos nos empenhado para o bem de centenas de crianças no Senegal. Precisamos que continuem na brecha por nós. Vão ficar retidos mais uma noite, agora estão em uma cela como malfeitores, sem luz, sem água, sem uma cadeira para sentar, sem poder ter nenhum pertence pessoal consigo, numa cela imunda. Chorei muito ao ver esta situação, mas preciso ser forte. Por favor, orem para que possam nos permitir levar ao menos um colchão onde possam repousar esta noite. – Marli”

CURSO: MINISTÉRIO PASTORAL (PARTE IV)


O pastor e a vida pessoal dos irmãos

De fato é de difícil acesso e com certeza deve ser preservada é a questão da vida pessoal dos membros da igreja local. Deve o pastor ater-se apenas aos assuntos que lhe forem compartilhados pelos irmãos, podendo apenas, em ponto de orientação geral para todos, abordar dois temas primordiais para a preservação da integridade espiritual de um lar: o casamento e o divorcio. Mas, sempre de maneira geral e não explicitamente sobre um casamento ou um divorcio.

O casamento para o cristão deve ser encarado como o passo mais responsável de sua vida pessoal, por se tratar de uma união de duas pessoas distintas e até então livres de compromissos maritais. Para a realização de um casamento são necessários quatro elementos: um homem, uma mulher, a sociedade e, se houver uma cerimônia religiosa, Deus. Devemos ressaltar o nosso total repudio a uniões de pessoas do mesmo sexo. (Gn 2.18-25; Mt 19.1-9; Rm 1.27; Ef 5.22-33.) O casamento precisa ser legalmente autorizado, com a publicação dos proclamas – é nesse ponto que entra a sociedade. O Senhor é representado pela presença de um religioso (pastor, padre e etc.).

Antes de concordar em realizar o casamento, procuremos instruir o casal, que o matrimonio não é um simples ato de união de corpos sem objetivos e ideais, antes é, um ajuntamento de servos de Deus que visam através deste compromisso glorificar ao Senhor. A nova família deve entender que é a maior instituição divina, que deverá ser alicerçada em oração, comunhão e vigilância. Certamente muitos podem dizer que o casamento criou problemas para eles, porém, o casamento não cria problemas, e sim revelas os que já existem, por isso à hora de enfrentá-los é antes de dizer “eu aceito”.

O divorcio ao contrario é sem duvida uma instituição maligna, por destruir lares, vidas e a comunhão com Deus. Muitos irmãos discordam quanto á base bíblica para o divorcio. Peçamos opinião a dez pastores e eles terão opiniões divergentes uma da outra. O melhor é fazer com todos os esforços, evitar esta tragédia, porem se for um caso – por cada caso é um caso – que não haja possibilidade de se contornar a situação, o melhor é não se intrometer no assunto. Cremos que realizar um divórcio não é da nossa alçada, mas se for para casar, e se o casamento for de pessoas que verdadeiramente aprenderam os sentidos do casamento, então amados vamos casar o povo, porque cada vez mais teremos mais famílias felizes na casa de Deus.

O pastor e a verdade

Temos visto diversas classes da sociedade brasileira se corrompendo e traindo a verdade pela qual foram impelidos nos cargos que exercem por dinheiro, fama, prestigio, entre outras coisas. Sem sombra de duvida o pastor deve e tem que ser referencial de testemunho verdadeiro, jamais abrindo brecha para deturpar a maior verdade em sua vida, seu chamado, imputando-se a si mesmo todas e quaisquer medidas para se prevenir de tal corrupção de fé quer seja por dinheiro, fama e posição, o pastor tem compromisso com a verdade. Pastores, falemos sempre a verdade, pois com esta bem-aventurança nos flanqueando seremos prósperos em nossos ministérios.   

O pastor e as crises ministeriais

“Confirmando o animo dos discípulos, exortando-os a perseverarem na fé, dizendo que por muitas tribulações nos é necessário entrar no reino de Deus”. At 14.22. O pastor que se preza em comunhão com Deus deve vigiar, orar, ouvir os pastores mais experientes, para que ele possa passar de maneira espiritual e sensata pelas crises ministeriais, pois todo, sim , todo pastor passa por crises ministeriais , e que não serão poucas. Calunia, difamação, fraqueza, desanimo, entre outras terríveis fases da vida ministerial de um pastor. O pastor que legitimamente tem o desejo de passar pelas agruras que o ministério impele, certamente será ditoso, pois as adversidades são meios dos quais nossa fé é provada, evidenciada, e o Senhor, espera a nossa perseverança naquilo em que fomos chamados, pois o nosso Deus nos livrará ( Sl 34.19).

O pastor e o pecado

“... mas, onde o pecado abundou, superabundou a graça;”. Rm 5.20b. Se o pastor prioriza algo a combater, este alvo deve ser o pecado. O obreiro deve ter em seu coração combater o pecado e não o pecador. Ninguém pode fugir do pecado, pois, ele nos rodeia, mas podemos fugir de pecar, só pecamos quando queremos. Não existem “super-homens”, existem sim pessoas dispostas em vencer o pecado e isto é louvável. Mas acima disso, o pastor deve vigiar e orar para que não caia, pois, quando um pastor cai não só atassalha um ministério, uma família, mas também leva a igreja ao fundo do abismo, nocauteia a fé da igreja, deixa-a frágil, combalida sem forças e animo para resistir às investidas do maligno. Uma igreja exinanida é a ruína de um pastorado. O pastor jamais pode compactuar com práticas, nem tampouco esquivar-se da responsabilidade de corrigir aqueles que os cometem.

O pastor e a santidade

“... sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver.” 1ª Pe 1.15. Este versículo nos mostra quão imensa é a responsabilidade pastoral para com a santidade. Pastores são o espelho para o rebanho, por isso devem ter em mente a busca pela santidade, um pastor santo, uma igreja santa. O próprio Pedro a escrever esta epistola clamou em prol da santidade: “Porquanto está escrito: Sedes santos, porque eu sou santo.”. Ao relembrar de Levitico 11.45, ele demonstra seu maior afã, a busca da santidade. O pastor deve ser santo na palavra, no trato, na caridade, no espírito, na fé, na pureza (1ª Tm 4.12), assim sendo será um exemplo, bom exemplo, para suas ovelhas, com bom testemunho podemos alçar muitas bênçãos que espreitam a vida ministerial de qualquer obreiro que se dispõe a ser um obreiro com vida no altar (Sl 84.11).

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

PERMUTA ENTRE AS AD'S MONTE ALEGRE E PEDRO VELHO


Aprovada entre os supervisores dos campos de Parnamirim e Canguaretama, e referendada pelo Pastor Presidente da IEADERN, haverá permuta entre as cidades de Monte Alegre e Pedro Velho, campos de Parnamirim e Canguaretama, respectivamente. 


Pastoreada a cerca de 10 anos pelo Pastor Ferreira, A AD em Monte Alegre tem desfrutado da presença marcante de homem de Deus, que atualmente labuta em uma magnifica reforma do templo, incluindo em sua planta até galeria. 
Não obstante a isso, a AD Pedro Velho vive dias de regozijo pela imensa restauração do Templo da cidade, não deixando de citar o material usado, que beira a perfeição, tudo isto só foi possível pelo anseio e afã do seu pastor o Pastor Luis Carlos, a quem rendemos estima profunda. Ambas as Igrejas vivem dias de renovo, e a permuta, já autorizada, se dará com posse em Monte Alegre dia 18 de dezembro, e em Pedro Velho será dia 20 de dezembro.


 PASTOR FERREIRA 


PASTOR LUIS CARLOS


ABSURDO GOSPEL!!!



Precisamos comentar esta aberração????

domingo, 11 de novembro de 2012

ROSA DE SAROM FAZ ANIVERSÁRIO

O Coral Jovem Rosa de Sarom do Templo Central em Natal, fará dois cultos de agradecimentos a mais ano de vitórias concedido pelo Senhor. O evento ocorrerá nos dias 17 e 18 de novembro, na Assembleia de Deus congregação de Lagoa Seca e no Templo Central respectivamente. Serão dias de muito louvor, gratidão e vitória.

Já participamos do Coral, e agora celebramos a Deus por uma renovação continua de seus membros, jamais perdendo a qualidade de seu louvor.

Parabéns Rosa de Sarom!!!!!


sexta-feira, 9 de novembro de 2012

ANA PAULA VALADÃO FALA O QUE NÃO DEVE

Não somos apaixonados por sua músicas, mas a respeitamos. não gostamos do seu estilo de vestimenta, mas a respeitamos. não gostamos de como falas, mas respeitamos. Muitas coisas em ti nos desagradam, mas continuamos a manter o respeito. E por que a senhora Ana Paula Valadão afirma que ser gordo é premissa de aversão ao ministério pastoral? Cuidado! Preconceito é crime!

Nossa publicação de hoje se reflete melhor a um protesto....

Ana Paula Valadão você errou feio mais uma vez....

"NA MULTIDÃO DE PALAVRAS NÃO FALTA TRANSGRESSÃO, MAS O QUE MODERA SEUS LÁBIOS É SÁBIO!" 
Provérbios 10.19


segunda-feira, 5 de novembro de 2012

CURSO: MINISTÉRIO PASTORAL (PARTE III)



O pastor e a pregação

 A pregação é uma dentre muitas formas pelas quais Deus espalha sua palavra, mas cremos piamente que ela é a maior de todas. A ceia, o batismo e as boas obras de cada fiel, tudo isso é belo, porem nada substitui a pregação de Palavra de Deus inspirada pelo Espírito Santo.

Obreiros, o nível espiritual da igreja sobe ou cai conforme a pregação da Palavra. Os crentes podem até tolerar fraquezas do pastor, mas, se não forem alimentados e ensinados, certamente berrarão como ovelhas famintas, ficando assim, insatisfeitos. Qualquer obreiro que não acredita no poder da pregação da Palavra, nem se dedica a ser um pregador melhor terá com certeza grandiosos problemas ministeriais. A pregação é sem duvida a “obra suprema do ministério cristão”. Feito com amor e dedicação, é o mais árduo trabalho do ministério.

É importante fazermos um parêntese. É que algumas igrejas têm deixado sua porta aberta para modismos seculares, tais como: Aconselhamento pessoal (ênfase em auto-ajuda), dinâmicas de grupo, dialogo, dramaturgia e assim por diante. Nenhuma delas por mais graciosas que sejam, substitui, ou melhor, é de melhor objetivo do que a exposição sistemática da Bíblia Sagrada. Tais obreiros que deixam a pregação em segundo, terceiro e até em ultimo plano, estão cavando sua própria cova e levando suas igrejas consigo. Se o pastor dá importância à mensagem da Palavra, todos terão ciência disso. Sua congregação reconhecerá seu prazer e esforço, por terem um pastor que os ama a ponto de se dedicar com afinco à pregação.
· Então como posso melhorar minha pregação?   
1.               Nunca fique satisfeito com seus sermões.
2.               Tenha sempre em mente que ainda pode melhorar.
3.               Aperfeiçoamos a pregação a aperfeiçoar ao pregador.
4.               Seja humilde, ouça outros pregadores.
5.               Aprenda sem, contudo, imitar.
6.               Cuidado com discursos repetidos.
7.               Não cair nos elogios, eles são uma bomba relógio.
Se seu desejo de melhorar suas mensagens for sincero, Deus proporcionará oportunidades para tal.

O pastor e o culto

Comecemos pelos motivos que levam os crentes a se reunir com regularidade:
1.                 Adorar a Deus.
2.                 Receber instrução e aprender a Palavra.
3.                 Ministrar e incentivar uns aos outros.
4.                  Tomar conhecimento e orar pelos outros.
5.        Testemunhar aos perdidos. O fato de nos reunirmos semanalmente já testifica diante da comunidade.

Quem dirige o culto deve ser cheio do Espírito, em tudo procurar adorar e honrar ao Senhor, não chefes de torcida que conduzem uma festa religiosa. Dirigir um culto é uma tarefa difícil e jamais pode ser feita por amadores.
Se permitirmos que o Senhor nos oriente e nos fortaleça, nossos cultos certamente não serão enfadonhos e maçantes. Mas se imitarmos os atenienses, que estavam sempre procurando “alguma novidade”, transformaremos o culto em um “espetáculo”, um lazer religioso”, isso é algo que devemos evitar. Variedade e diversidade, sim; novidades, não; união, sempre. Assim sendo, a oração e a orientação do Espírito Santo são essenciais para preparar cada culto. Sem também esquecer, que é de vital importância permitir que o rebanho exerça os dons do Espírito, em vez de serem apenas espectadores de um programa religioso.

O pastor e a visitação

Para que nossa pregação toque e transforme a vida do rebanho, precisamos, tal como Ezequiel, sentar onde eles sentam” e compreender suas reais necessidades. Os mercenários se mantém afastados e fogem dos problemas, mas o verdadeiro pastor segue o exemplo do Bom Pastor, que sempre tinha tempo para cada um e não relegava ninguém ao descaso. Jesus fez de cada visita uma oportunidade de seu ministério espiritual. Ele partilhou boas, como péssimas ocasiões. Não é necessário visitá-los todos os dias, mas, separar momentos em que se possa fazer um rodízio de visitas.  A nossa visita não deve se tornar fátua, pacóvia à família visita, pois assim, nossa visita não será bem vinda. É importante preferencialmente, dividir esta tarefa com irmãos idôneos e confiáveis. Também resista ao bolo de toda visita, seu medico e sua família agradecem.